Uma mão deixa a outra na mão

Uma pequena empresa, tocada a quatro mãos, fica mal das pernas porque um dos sócios, a Mão-aberta, tinha a mão furada. Teve então a empresa de ser passada, de mão beijada, para outras mãos, e o segundo sócio, o Mão-fechada, porque saía com as mãos abanando da negociação, voltou-se para a sua companheira com quatro …

Continue lendo Uma mão deixa a outra na mão

Foi-se na hora da Foice

A horas tardias, numa dessas ruas que convocam os boêmios, um dado rapaz da fina flor carioca aborda uma primorosa desconhecida, dessas que suscitam paixões instantâneas. Desacompanhada, mostra-se receptiva aos cortejos do simpático estranho, conversam por alguns minutos, e então anuncia ela sua partida. Enredado no feitiço da moça, ele implora para que fique, e …

Continue lendo Foi-se na hora da Foice